Os Tripes do Brasil
Identificação, Informações, Novidades

Chirothrips manicatus

Chirothrips manicatus (Haliday, 1836: 444).

Referência original: Haliday AH (1836) An epitome of the British genera in the Order Thysanoptera with indications of a few of the species. Entomological Magazine 3: 439–451.

 

Família

Thripidae, Thripinae

 

Informações sobre nomenclatura

http://thrips.info/wiki/Chirothrips_manicatus

 

Diagnose

Corpo uniformemente castanho; tarsos amarelos; asas anteriores fortemente escurecidas. Cabeça sem esculturação aparente, vertex com três pares de cerdas. Antena com 8 segmentos, III & IV com cones sensoriais simples; segmento antenal I robusto, II assimétrico com margem lateral externa fortemente projetada. Pronoto trapezoidal e reticulado; dois pares de cerdas posteroangulares longas. Endofurcas meso e metatorácicas sem espínula. Tarso com dois segmentos; coxas anteriores robustas. Metanoto com reticulações irregulares medialmente; par de sensilas campaniformes presente; par de cerdas medianas localizadas atrás da margem anterior. Primeira e segunda fileiras de cerdas das asas anteriores com poucas e esparsas cerdas. Tergitos abdominais com linhas transversais de esculturação, margens posteriores com craspeda; II–VIII com um par de cerdas medianas longas e distantes entre si; VIII com um craspeda completo. Esternitos com pequenos tubérculos na margem posterior; três pares de longas cerdas posteromarginais; ovipositor pequeno. Fêmea macróptera, machos sempre ápteros.

 

Machos muito mais claros que fêmeas; ocelos ausentes; metanoto retangular; placas porosas circulares nos esternitos abdominais III–VII.

 

Variação intraespecífica

Sem registro.

 

Informações do gênero e espécies similares

O gênero Chirothrips inclui mais de 50 espécies, mas a taxonomia ao nível de espécie desse grupo não é satisfatória (Mound & Marullo 1996). Todos os membros possuem antenas curtas, pernas anteriores robustas e pronoto trapezoidal. O gênero é proximamente relacionado com Arorathrips mas se diferencia por possuir a endofurca mesotorácica bem desenvolvida, invaginada medialmente e com braços laterais pareados. Cinco espécies são registradas no Brasil e C. manicatus pode ser distinguida delas pelo segmento antenal II fortemente assimétrico com a margem apical agudamente prolongada. Nakahara & Foottit (2012) provêm uma chave para as espécies de Chirothrips registradas nas Américas.

 

Distribuição no mundo

Descrita da Europa, atualmente é amplamente distribuída ao redor do mundo em regiões temperadas. Na América do Sul, é registrada na Argentina e Brasil.

 

Distribuição no Brasil*

Rio Grande do Sul.

*Dados da literatura e dos autores

 

História de vida

Vive e se desenvolve dentro de flores de diversas espécies de gramíneas.

 

Importância econômica

Registrada como uma peste de menor importância em sementes de gramíneas (Mound & Marullo 1996).

 

Referências sugeridas

Mound LA & Marullo R (1996) The Thrips of Central and South America: An Introduction. Memoirs on Entomology, International 6: 1–488.

Nakahara S & Foottit RG (2012) Review of Chirothrips and related genera (Thysanoptera: Thripidae) of the Americas, with descriptions of one new genus and four new species. Zootaxa 3251: 1–29.


Publicado em: 26/12/2016
Postado por: Adriano

Galeria de fotos:

Atendimento


Brasil, Rio Grande do Sul, Rio Grande

Campus Carreiros: Av. Itália km 8

Bairro Carreiros



(51) 9812-37076


cavalleri_adriano@yahoo.com.br

Curta nossa Fan Page

Thysanoptera © Todos Direitos Reservados 2022

Facebook Instagram Linkedin

Hostche - Criação de Sites