Os Tripes do Brasil
Identificação, Informações, Novidades

Neohydatothrips portoricensis

Neohydatothrips portoricensis (Morgan, 1925: 316).

Referência original: Morgan AC (1925) A new genus, a new subgenus and seven new species of Thysanoptera from Porto Rico. Florida Entomologist 9: 1–7.

 

Família

Thripidae, Sericothripinae

 

Informações sobre nomenclatura

http://thrips.info/wiki/Neohydatothrips_portoricensis

 

Diagnose

Corpo bicolorido: cabeça, tórax e tergitos abdominais VII–X castanhos, tergitos I–V distintamente mais claros medialmente; tergito VI amarelo e fracamente escurecido medialmente. Todos os tarsos e tíbias amarelos; segmentos antenais I–II amarelos, III–IV amarelos com ápices castanhos, V amarelo na base, VI–VIII castanhos; asas anteriores com coloração em faixas, majoritariamente castanhas com faixas sub basal e subapical mais claras bem definidas. Cabeça com várias linhas transversais de esculturação e com um apódema occipital próximo à margem posterior dos olhos; três pares de cerdas ocelares; região ocelar transversalmente estriada e com marcas internas. Antenas com 8 segmentos, III & IV com cones sensoriais bifurcados. Pronoto com retículas transversais alongadas na metade anterior, mas com uma mancha pronotal escura com estrias irregulares; um par de cerdas posteroangulares desenvolvidas; retículas com marcas internas. Endofurcas meso e metatorácica com espínula presente. Metanoto com linhas transversais de reticulação na região anterior e linhas longitudinais posteromedialmente; sensilas campaniformes ausentes; dois pares de cerdas longas próximas à margem anterior. Borda anterior do metaesterno arredondada. Tarsos com dois segmentos. Asas anteriores com primeira fileira de cerdas essencialmente completa e segunda fileira com apenas duas cerdas. Tergitos abdominais I–VIII cobertos com microtríquias organizadas em fileiras próximas; II–VIII com um par de cerdas medianas longas e próximas entre si; margem posterior dos tergitos II a VI com uma franja de microtríquias pequenas medialmente; margem posterior do tergito VIII com um longo pente de microtríquias. Esternitos cobertos com microtríquias, inclusive medialmente; três pares de cerdas posteromarginais longas. Ambos os sexos macrópteros.

 

Macho sem placas porosas nos esternitos.

 

Variação intraespecífica

Sem registro.

 

Informações do gênero e espécies similares

Neohydatothrips inclui cerca de 100 espécies, a maioria de países tropicais (Mound & Tree 2009). Todas possuem os esternitos abdominais e terços laterais dos tergitos cobertos por fileiras de microtríquias finas. É proximamente relacionado com Hydatothrips mas a margem anterior do metaesterno é transversal. Neohydatothrips portoricensis é uma espécie grande e escura, com pigmentação interna vermelha, e assim como N. fimbriatus possui uma franja de pequenas microtríquias medialmente na margem posterior dos tergitos II a VI. A escultura do metanoto é linear e longitudinal, mas possui estrias duplicadas ao lado das estrias principais. A esculturação do pronoto é formada por reticulações transversais estreitas, com muitas marcas longitudinais entre as estrias principais. Uma chave para as espécies neotropicais de Neohydatothrips é fornecida por Lima & Mound (2016a).

 

Distribuição no mundo

Descrita de Porto Rico, atualmente é amplamente distribuída na América Central e no Brasil.

 

Distribuição no Brasil*

Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul e São Paulo.

*Dados da literatura e dos autores

 

História de vida

Vive em folhas, e é possivelmente relacionada com plantas da família Solanaceae. No Brasil, adultos são frequentemente coletados em folhas de Solanum spp.

 

Importância econômica

Sem registro.

 

Referências sugeridas

Lima EFB & Mound LA (2016a). Species-richness in Neotropical Sericothripinae (Thysanoptera: Thripidae). Zootaxa 4162(1): 1–45.

Lima EFB & Mound LA (2016b). Systematic relationships of the Thripidae subfamily Sericothripinae (Insecta: Thysanoptera). Zoologischer Anzeiger 263: 24–32.

Mound LA & Marullo R (1996) The Thrips of Central and South America: An Introduction. Memoirs on Entomology, International 6: 1–488.

Mound LA & Tree DJ (2009) Identification and host-plant associations of Australian Sericothripinae (Thysanoptera, Thripidae) Zootaxa 1983: 1–22.


Publicado em: 29/12/2016
Postado por: Adriano

Galeria de fotos:

Atendimento


Brasil, Rio Grande do Sul, Rio Grande

Campus Carreiros: Av. Itália km 8

Bairro Carreiros



(51) 9812-37076


cavalleri_adriano@yahoo.com.br

Curta nossa Fan Page

Thysanoptera © Todos Direitos Reservados 2022

Facebook Instagram Linkedin

Hostche - Criação de Sites